Dúvidas

Cirurgia Bariátrica

R: Sempre há uma melhora do diabetes após a cirurgia metabólica , podendo grande parte dos pacientes serem beneficiados com a melhora total da doença a depender da seleção da técnica cirúrgica e da condição de cada indivíduo

R: A maior parte dos pacientes nunca mais voltarão a ser obesos, porém aqueles pacientes que não aderirem a uma mudança nos hábitos alimentares e na atividade física estarão sujeitos a ganhar peso novamente.

R: A cirurgia quando bem conduzida não atrapalha a possibilidade de uma gestação saudável posterior . A paciente deve discutir a melhor técnica cirúrgica com o cirurgião e manter os níveis de vitaminas adequados com uma boa adesão à equipe multidisciplinar.

R: Sim, quem realiza um procedimento bariátrico necessita se alimentar com uma dieta especial no período pós- operatório imediato. Posteriormente , passa por uma dieta de transição e após 45-60 dias retorna a alimentação normal.


Endocrinologia

R: O diabetes tipo 2 acomete geralmente pessoas acima de 40 anos e está relacionado c/ obesidade e história familiar da doença. Já o tipo 1 acomete crianças e adultos jovens e apresenta maior gravidade. Existem outros tipos de diabetes que devem ser descartados pelo especialista.

R: Hipotiroidismo doença decorrente da diminuição da produção hormonal da tireóide. Já o hipertiroidismo decorre do excesso de produção hormonal tiroidiana. As causas destas patologias são diversas e o quadro clínico variável.

R: A maioria dos nódulos tiroidianos são benignos, porém pode haver malignidade em determinados tipos de nódulo. Assim é necessário o acompanhamento c/ especialista e avaliações repetidas do exame de ultrasom.


Psicologia

R: O paciente precisa conhecer muito bem qual é o procedimento cirúrgico que irá se submeter e se está preparado emocionalmente para lidar com as mudanças que acontecerão em seu corpo, bem como em seu estilo de vida. O profissional convidará o candidato à cirurgia a realizar uma avaliação psicológica.

R: O papel do psicólogo é fundamental e hoje é necessário um laudo psicológico para a realização da cirurgia bariátrica. O parecer é um documento que deve apresentar uma resposta esclarecedora, no campo do conhecimento psicológico, que mostre a atual estrutura de personalidade do candidato.

R: A avaliação é feita através de uma entrevista semi dirigida com o intuito de colher dados importantes sobre o histórico de vida do candidato e de testes psicológicos reconhecidos e recomendados pelo CRP (Conselho Regional de Psicologia). O objetivo é garantir uma avaliação adequada e válida. O candidato receberá o resultado dessa avaliação em primeira mão, será informado se necessitará de um acompanhamento com profissional da psicologia antes ou após o procedimento cirúrgico.

R: Principalmente quando o paciente apresentar dificuldades em lidar com as mudanças ocorridas em seu novo estilo de vida seja a nível corporal (nova imagem do corpo), sentimental (tristeza intensa, depressão, angústia, irritação, medos) ou comportamental (compulsões, boicotes, etc). Quanto mais rápido o paciente tomar consciência de sua dificuldade em se adaptar e procurar um profissional para auxiliá-lo, melhor serão as possibilidades de garantir eficácia em seu procedimento cirúrgico e assim obter sucesso no tratamento.

R: A avaliação e o acompanhamento psicológico visam proporcionar ambiente adequado para seu autoconhecimento, conhecimento das relações interpessoais e equilíbrio emocional para fazer as escolhas mais acertadas na sua vida. Portanto eles não têm como meta impedir e sim preparar e fortalecer o candidato para alcançar o seu tão almejado sonho.


Nutrição

R: Qualquer pessoa pode e deve consultar um nutricionista pelo menos uma vez na vida. A nutrição tem objetivo de contribuir para a prevenção e/ou tratamentode doenças como diabetes, hipertensão, obesidade, doenças coronárias entre outras.
Na primeira consulta nutricional são coletados dados sobre histórico familiar, anamnese nutricional e realizada avaliação nutricional. O paciente fala seus objetivos e de acordo com a necessidade nutricional, a nutricionista irá realizar um planejamento dietoterápico (que inclui a prescrição de uma dieta específicae individualizada) para este paciente. A partir deste momento, inicia-se um acompanhamento nutricional visando a verificação dos resultados obtidos e uma eventual readequação da dieta.

R: Sim. Os hábitos alimentares, questões culturais e sociais de cada paciente sempre são levados em consideração. No entanto, para isso é necessário avaliação do paciente e adequação de horários e quantidades permitidas. Em alguns casos específicos pode ocorrer limitação temporária ou contínua de certos alimentos como, por exemplo, restrição de açúcar para pacientes pré-diabéticos ou diabéticos.

R: O pão integral tem aproximadamente a mesma quantidade de calorias que o pão francês. A diferença é que o pão integral tem fibras e o pão branco não. O produto integral, menos refinado, é absorvido de forma mais lenta pelo organismo dando a sensação de saciedade por mais tempo. Alimentos ricos em fibras (como sementes, pães, bolachas e massas) possuem índice glicêmico mais baixo do que os mais refinados, como a farinha do pão francês ou do pão de forma comum. Com alto índice glicêmico, o pão comum aumenta drasticamente as taxas de açúcar no sangue. Quanto mais açúcar maior é a produção do hormônio insulina. Em excesso, a insulina faz com que o organismo produza mais gordura – ou seja, ganho de peso. Alimentos com alto índice glicêmico são absorvidos rapidamente pelo organismo e provocam a sensação de fome em menor espaço de tempo.